Cidades
cidades@folhadaregiao.com.br
 
 

 
 

MEMÓRIA 
Cinco enfartes matam ex-prefeito  

Manoel Martins dos Santos  

      O ex-prefeito de Araçatuba Joaquim Geraldo Corrêa, que no próximo dia 2 completaria 87 anos, morreu ao meio-dia e meia de domingo, na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) da Santa Casa, de enfarte. 
Ele já tinha problemas cardíacos e inclusive era safenado. Zizinho, como o ex-prefeito era conhecido, sentiu-se mal pela primeira vez à 1h da madrugada. Segundo seu sobrinho Sérgio Guimarães Corrêa Júnior, no total ele sofreu cinco enfartes. 
O corpo foi velado no plenário da Câmara e enterrado ontem de manhã no cemitério da Saudade. Além de familiares e amigos do ex-prefeito, vários políticos acompanharam o velório e o enterro. 
A prefeita Germínia Venturolli (PRP) não estava na cidade ontem, mas decretou luto oficial por três dias e enviou uma mensagem aos familiares de Corrêa desejando “que a sua trajetória de decência e dignidade seja o consolo da família que o viu como esposo, pai, sogro e avô e, sobretudo, como exemplo de cidadão prestativo à sua comunidade”. 
Corrêa deixou a mulher Débora Guarinon Corrêa, 83 anos, dois filhos — Sérgio Guarinon Corrêa, 58 anos, funcionário aposentado do Ministério da Fazenda, e Sílvia Guarinon Corrêa Lodi, 52 anos, dona do Cartório de Registro Civil de Araçatuba — e sete netos. 
Natural de São José do Rio Preto, Corrêa foi prefeito de Araçatuba três vezes. Na primeira, nomeado, permaneceu no cargo durante cerca de oito meses no ano de 1947. Depois, como prefeito eleito, administrou a cidade de 1948 a 1951 e de 1956 a 1959. 
Honestidade, sinceridade e lealdade eram as maiores virtudes do ex-prefeito, na opinião do ex-vereador José Ferreira Baptista Júnior, o Ferreirinha, que estudou com Corrêa em Araçatuba e Campinas. 
“Araçatuba perde um homem sério e administrador competente, que governou visando sempre os interesses da comunidade”, declarou o também ex-vereador Vanderlino Souza, 67 anos. 
Segundo Baptista Júnior, uma grande reforma na praça Rui Barbosa, asfaltamento de ruas e conservação de estradas rurais foram algumas das realizações de Corrêa. 
Baptista Júnior lembrou ainda que o ex-prefeito teve atuação decisiva para a construção da primeira ponte sobre o rio Tietê. Conforme o ex-vereador, para assegurar que o Estado investisse na obra, Corrêa chegou a trocar o PSD pelo PSP do então governador Adhemar de Barros. 
 
 

Foto: Ag. Cardoso
DESPEDIDA/ O corpo de Joaquim Geraldo Corrêa (abaixo) deixa a Câmara  
Foto: Reprodução

 
 
 
Repercussão  
 

“Ele (Joaquim Geraldo Corrêa) desempenhou um papel político fundamental para o desenvolvimento de  
Araçatuba. Guardarei comigo a imagem de uma pessoa simples, correta e trabalhadora.”  

(Acyoli Pereira, advogado e amigo do ex-prefeito).  

“Foi um estadista nato, homem de cultura exemplar e de fino trato. Ele e meu pai (Manoel Pires, prefeito de Bilac no mesmo ano em que Corrêa foi prefeito de  
Araçatuba, em 1946) tiveram um perfeito entrosamento político. A união dos dois fez com que surgisse a  
estrada que liga Bilac a Araçatuba.”  

(Secretário de Indústria e Comércio de Araçatuba, Nelson Pires).  

“As atuações dele nas três vezes em que foi prefeito de Araçatuba foram marcadas por administrações boas,  
corretas e decisivas para o destino da cidade.  
Especialmente na primeira gestão (1946/47)  
enfrentamos um grande desafio, que era a de refazer concessões como a da telefonia. Havia muito por ser  
feito e ele sempre esteve à frente coordenando as  
decisões. O conhecia desde a época que fizemos o  
ginásio juntos, em Campinas, em 1930. Desde àquela época tive nele a imagem de uma pessoa serena,  
que sabia lidar com as divergências até transformá-las em convergências.”  

(José Ferreira Baptista Júnior, o Ferreirinha, 84 anos, vereador durante primeira gestão de Joaquim Geraldo Corrêa).  

“Araçatuba perde uma grande pessoa, que contribuiu em muito para a história política local.”  

(Tadami Kawata, presidente da Câmara Municipal de Araçatuba).  

“Foi uma pessoa humilde, calma e que dedicou sua vida para o bem comum do município.”  

(Irma Gracioti, amiga da família de Joaquim Geraldo Corrêa)  
  
  
 


 
 
 
ESTAÇÕES 
Chuvas moderadas  
vão marcar outono  

Harlen Felix  

      Chuvas rápidas e com intensidade moderada vão marcar o outono, estação que teve início ontem, às 4h35, no Brasil e nos países do Hemisfério Sul. Neste período do ano, acontecem as primeiras entradas de massas de ar frio provenientes do Sul do país, que chocam-se com o ar quente e úmido que predomina sobre as outras regiões. 
Segundo a meteorologista Zildene Emídio, do IPMet (Instituto de Pesquisas Metereológicas) da Unesp/Bauru, a intensidade das chuvas é ainda maior nas regiões onde há contrastes de temperaturas. 
A meteorologista lembra que o outono é a transição do verão para o inverno. “As temperaturas costumam ser mais amenas e, dependendo da intensidade das massas de ar frio, podem ocorrer geadas em regiões de baixadas, com danos na agricultura”, explicou. Os nevoeiros e névoas úmidas são mais comuns nesta estação devido à chegada das frentes frias. 
Conforme a meteorologista, na região de Araçatuba, no outono, a média da umidade relativa do ar fica em torno de 65% e a temperatura é de 23 graus centígrados. 
O índice pluviométrico médio é de 140 milímetros. Zildene acrescentou que, com a redução da umidade e das chuvas, os dias ficam mais secos e favorecem a ocorrência de problemas respiratórios, além de ligeiro desconforto como o ressecamento da pele e formigamento dos dedos. 
O movimento do sol ao longo do ano, na direção Sul-Norte, dá origem as estações climáticas, que se iniciam em instantes denominados solstícios e equinócios. A meteorologista Zildene Emídio explicou que os solstícios são os instantes em que o sol se encontra mais afastado do plano equatorial terrestre e os equinócios quando o sol passa pelo plano equatorial. 
No Hemisfério Sul, o outono se inicia no dia 21 de março, o inverno no dia 21 de junho, a primavera em 21 de setembro e o verão em 21 de dezembro. 
 
 
 


 
 
 
SEGURANÇA PÚBLICA 
Polícia Militar  
inicia campanha  
de desarmamento  

José Marcos Taveira  

       A 1ª Companhia da Polícia Militar de Araçatuba inicia hoje uma campanha municipal para tentar desarmar a população. A iniciativa é do comandante da unidade, capitão Jefferson de Almeida. Ele pretende até recolher a arma na residência do doador para que ele não tenha problemas se for flagrado por porte ilegal durante alguma fiscalização. 
Para entregar sua arma, o interessado pode ligar para os telefones 190 ou 624-6137. Uma viatura irá buscá-la, evitando que o doador tenha problemas. Outra opção é fazer a entrega na própria companhia, na praça Diogo Júnior, bairro Aviação. 
Almeida inspirou-se na atitude de duas senhoras, uma delas com 77 anos, que o procuraram ontem à tarde para, espontaneamente, entregar um revólver de calibre 32. A arma pertencia a um parente delas que morre recentemente. “Quem tem uma arma ilegal em casa corre o risco de ela ser furtada e parar nas mãos de marginais”, afirma o capitão. 
Para ele, a atitude das senhoras demonstra a confiança que a população está tendo com o policiamento comunitário. “Elas fizeram questão de entregar a arma ao comandante; e foram as bases comunitárias que trouxeram os comandantes para mais próximo da população.” 
Desde ontem, o plantão permanente da PM de Araçatuba está funcionando no prédio do 2º Batalhão da PM, na rua Capitão Alberto Mendes Jr., 238. A sala onde funcionava, na 1ª Companhia, deve ser usada para instalar o 2º Distrito Policial. 
 
 

Foto: Paulo Gonçalves
Exemplo/ Arma entregue ontem à tarde para a Polícia Militar por duas senhoras  
 
 
 

 
 
 
JUSTIÇA 
Juiz manda traficante a júri popular  

      O traficante Hélio Alves Pereira, 32 anos, atualmente preso na cadeia de General Salgado, será julgado pelo Tribunal do Júri como autor do assassinato do aposentado Dermival Ribeiro da Silva, que era informante da polícia. A data para o julgamento ainda será definida. 
A decisão é do juiz Wellington José Prates. O crime aconteceu no dia 3 de agosto do ano passado. Silva, que tinha 51 anos, foi executado com quatro tiros de pistola na cabeça no quintal de sua casa, na rua Pereira Passos, 473, bairro São Joaquim, em Araçatuba. 
Segundo o processo, Pereira, conhecido nos meios policiais como Índio e Maresia, matou o informante a mando do também traficante Edson Paulo Lopes, 48 anos, o Barba. 
Condenado recentemente a 5 anos e 10 meses de reclusão no regime fechado por tráfico de drogas, Lopes está foragido e, por isso, em relação a ele o processo sobre a morte de Silva está suspenso. Quando for preso, também irá a júri popular. 
Antes de ser executado, o informante recebeu muitas ameaças de morte de Lopes. Ambos eram vizinhos e freqüentemente Silva enviava informações por escrito à polícia sobre venda de drogas na casa de Lopes. 
Essas informações levaram a promotoria a requisitar inquérito policial, em andamento, para tentar identificar as pessoas que compravam drogas do traficante. 
Silva passou à polícia números de placas e características de veículos que apareciam na casa de Lopes. Um advogado e um ex-PM estão entre as pessoas que eram vistas com freqüência no local. 
Hélio Alves Pereira nega ser o autor do assassinato do informante, mas foi reconhecido por duas testemunhas. Além disso, sua própria companheira o incriminou ao revelar à polícia que ele aceitou praticar o crime em troca de três quilos de maconha. 
Se for condenado, Pereira pode pegar de 20 a 30 anos de cadeia. (M.M.S.) 
 
 
 


 
 

RURALISMO 
Professor da USP critica  
má distribuição de terras  

Harlen Felix  

      As discussões sobre o uso da terra e a ocupação do solo abriram, na noite de ontem, a programação do 1º Seminário Regional Sobre a Questão Agrária, em Araçatuba, promovido pelo Itesp (Instituto de Terras do Estado de São Paulo). O debate contou com a participação do professor de Geografia Ariovaldo Umbeliono de Oliveira, da USP (Universidade de São Paulo), e do subprocurador do Estado, José Roberto de Moraes. 
Para Oliveira, falta um trabalho social e político mais aprofundado para disponibilizar melhor a distribuição de terras no país. “Nós temos áreas em que a apropriação está baseada na pequena unidade, como em Santa Catarina, onde mais de 60% das terras estão sob este regime. Num outro extremo, no Centro-Oeste e no Estado do Tocantins, predominam áreass com mais de mil hectares (latifúndios), representando cerca de 70% do território.” 
O professor informou que a justificativa usada para os latifúndios é de que a qualidade da terra é baixa. “Em parte, isso é verdade, mas uma boa produção agrícula não depende somente da fertilidade natural do solo. Existem mecanismos e tecnologias que garantam a produção.” 
O seminário tem continuidade hoje, às 19h30, no Centro Universitário Toledo. 
 
 
 


 
 
 
TURISMO 
Vereadores aprovam  
registro de agências  

José Marcos Taveira  

     A Câmara Municipal de Araçatuba aprovou ontem à noite o projeto de lei do Executivo que exige autorização da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) para que as agências de viagens da cidade continuem a funcionar. 
O projeto determina que a autorização do órgão, que é ligado ao Ministério do Esporte e Turismo, passe a ser um dos requisitos exigidos pela prefeitura para a concessão do alvará de funcionamento. 
A votação do projeto foi em discussão única. Para se transformar em lei, depende agora da promulgação da prefeita Germínia Venturolli (PRP). Depois disso, as agências terão três meses para conseguir seu certificado, caso contrário pagarão multa de mais de R$ 1 mil (mil ufirs). A própria prefeitura fará a fiscalização. 
A intenção do Executivo é acabar com as empresas e pessoas que agem ilegamente no município. Em sua justificativa para apresentar o projeto, Germínia afirma que a Embratur está sugerindo tal atitude aos municípios “onde há ostentação de grandes realizações e negócios ligados ao turismo” para combater “as práticas abusivas na prestação dos serviços turísticos, principalmente as operações clandestinas.” 
Segundo cálculos do presidente da Anav (Associação Noroestina de Agências de Viagens e de Turismo), Luiz Douglas Ferreira, as 12 agências que funcionam devidamente legalizadas em Araçatuba têm um prejuízo de aproximadamente R$ 100 mil por mês com os clandestinos. “Esses picaretas conseguem alvará de funcionamento, recebem o dinheiro dos clientes e desaparecem”, denuncia Ferreira. O golpe, afirma ele, vem crescendo muito em Araçatuba e região. 
Ferreira afirma que esse foi o motivo que levou a Anav e a própria Embratur a sugerir à prefeita que apresentasse o projeto. “A empresa que não se cadastrar será fechada pela Embratur”, garante. “Quando o projeto se tranformar em lei, quem quiser um alvará da prefeitura terá, antes de tudo, que provar à Embratur que é capacitado para exercer a profissão.” 
 
 
 


 
 
 
CIDADANIA 
Associação Comunitária pede  
revisão das tarifas de energia  

Fernanda Vicente 

      Moradores dos bairros São José, Mão Divina e Ezequiel Barbosa, na periferia de Araçatuba, se mobilizaram para reivindicar a revisão das tarifas de energia elétrica. Ontem uma comissão formada por membros da Associação de Ação Comunitária entregou um documento com 210 assinaturas a um dos engenheiros da CPFL (Companhia Paulista de Força e Luz), Antônio Luiz Thonhom. 
O abaixo-assinado questiona os aumentos das tarifas, a cobrança e a aplicação da CPC (Cota Participativa Comunitária) e os percentuais utilizados no cálculo do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre o consumo de energia elétrica. 
No ano passado, as tarifas cobradas pela CPFL sofreram reajustes de 11,23% em abril e 8,72% em junho. O contrato de concessão do serviço prevê um novo aumento no mês que vem. 
As quatro representantes da associação foram recebidas por Thonhom, mas a imprensa não pôde acompanhar o encontro, que durou cerca de duas horas. De acordo com a presidente da associação, Rosa Bacaneli, todas as explicações dadas ontem pelo engenheiro também serão fornecidas por escrito à entidade. 
Além disso, segundo ela, a associação irá fazer um levantamento para identificar possíveis moradores que se enquadram no programa da CPFL para famílias de baixa renda. Para essas pessoas, a tarifa cobrada pela companhia é menor. Os valores variam conforme o consumo. 
A lista com os nomes dos moradores será entregue à CPFL, que verificará se realmente eles podem ser beneficiadas pelo programa. Para que isso ocorra, o consumo deve ser de no máximo 220 quilowatts por mês. O consumidor também deve possuir ligação monofásica (a mais simples) e os eletrodomésticos da casa não podem somar mais de 4 mil watts de potência. 
De acordo com Rosa, na prática, isso equivale a uma casa com chuveiro, ferro elétrico, televisor de 20 polegadas, geladeira, cinco lâmpadas, um tanquinho e um aparelho de som. Ela explicou que quem consumir até 50 quilowatts está isento da cobrança do ICMS; se o consumo ficar entre 51 e 200 quilowatts, o imposto é de 12%; e se for acima de 200 quilowatts, o percentural do ICMS é de 25%. 
“O encontro foi positivo porque tivemos vários esclarecimentos”, afirmou Rosa. “Sabemos agora que a CPC vai para o município, por isso, vamos encaminhar ofícios à prefeitura e à câmara para saber onde esse dinheiro é aplicado”. 
 
 

Foto: Paulo Gonçalves
PRESSÃO/ Rosa Bacaneli e integrantes da associação com abaixo-asssinado dos moradores  
 
 
 


 
 

CRIMINALIDADE 
Fim de semana  
tem dois homicídios  

Marival Sérgio Corrêa 

      Dois assassinatos e uma tentativa de homicídio marcaram o fim de semana em Araçatuba. Em um dos crimes houve a prisão de uma pessoa, interceptada por policiais rodoviários dentro de um ônibus que seguia para Ilha Solteira. 
O primeiro caso aconteceu por volta da 1h de domingo, no bairro Guanabara. O pintor de paredes Paulo Roberto Martins, conhecido como Gordo Pelota, 25 anos, foi baleado na frente de uma casa. Ele estava na calçada aguardando uma amiga para ir embora quando foi surpreendido por um homem armado. Pelo menos cinco tiros acertaram o pintor. 
A vítima chegou a ser levada para a Santa Casa no carro de um amigo, mas não resistiu aos ferimentos e morreu ao chegar ao hospital. Cerca de sete horas mais tarde, policiais rodoviários interceptaram um ônibus que seguia de Araçatuba para Ilha Solteira. Uma denúncia anônima informou que o suposto autor dos disparos, Anderson Pereira Bispo, o Babe, 22 anos, queria se esconder em Pereira Barreto, onde tem parentes. 
Detido e encaminhado ao Plantão Policial, Bispo confessou o crime ao delegado Rodolfo Carlos de Oliveira. Ele disse que cometeu o assassinato porque estava sendo ameaçado por Martins, que o teria denunciado aos policiais por um assalto ocorrido em Araçatuba no ano passado. 
Depois de ouvido, o criminoso foi transferido para uma cadeia da região. Tanto a vítima quanto o acusado tinham passagens na polícia por roubos e furtos. 
O segundo homicídio foi registrado às 3h30 de domingo, no Jardim Planalto. O pedreiro Alex Sandro de Souza, 20, foi assassinado em frente a um salão de eventos conhecido como Quermeshow, pertencente à Paróquia São Paulo Apóstolo. 
A polícia não encontrou testemunhas do crime. Um morador vizinho do local, A.S., 76 anos, disse apenas que ouviu o barulho de cinco tiros. 
Policiais militares receberam denúncia anônima de que o assassino seria um homem identificado apenas como “Baiano”, morador do bairro São José, mas ele não havia sido preso até ontem à tarde. 

FACADA — O auxiliar José Sérgio Lucas Gouveia, 31 anos, foi esfaqueado às 22h30 de domingo, na Chácara Arco-Iris, depois de uma discussão com o motorista Tertuliano Roberto Martins, 52 anos, seu vizinho. 
Policiais militares foram chamados e encontraram Martins em casa. Ele confessou o crime para o delegado Cristiano de Oliveira Mello, mas disse que tomou a iniciativa porque estaria sendo ameaçado pela vítima. Depois de prestar depoimento ele permaneceu detido. Gouveia permanecia em observação na emergência daSanta Casa até o final da tarde de ontem, mas não corria risco de vida. 
 
 
 


 
 
 
CRIME 
Microempresário é baleado na perna  

      O microempresário Marcelo Baziqueto, 25 anos, foi baleado na coxa esquerda depois de conseguir escapar de uma tocaia preparada por assaltantes, às 4h de anteontem, na avenida Baguaçu, altura do Jardim Alvorada, em Araçatuba. 
A vítima voltava de Birigüi quando encontrou o caminho obstruído por pedras, em frente à praça Bezerra de Menezes. Ao descer para retirar os obstáculos, foi surpreendido por dois homens encapuzados, que estavam escondidos num terreno baldio ao lado da praça. 
O microempresário percebeu a movimentação, voltou ao carro e acelerou. Um dos bandidos deu um tiro, que atravessou a porta do lado do motorista e atingiu Baziqueto na perna. 
Mesmo ferido, o microempresário, dono de uma fundição, seguiu em frente até encontrar uma viatura da PM, já no cruzamento com avenida Pompeu de Toledo. Levado para a Santa Casa, ele foi medicado e liberado. A bala transfixou a coxa. 
“Praticamente nasci de novo. Se aquele disparo pega um pouco acima poderia ter sofrido um ferimento bem mais grave”, comentou a vítima, que disse não desconfiar da armadilha. “Pensei primeiro se tratar de uma arte de meninos, depois que os próprios moradores do local pudessem ter colocado aquelas pedras para forçar os motoristas a diminuírem a velocidade. Jamais imaginava ser um assalto”, comentou. (M.S.C.) 
 
 

Foto: Lécio Jr.
VÍTIMA/ Baziqueto, que foi atingido na coxa, e a marca do tiro na porta do carro  
 
 
 

 
 
 
VANDALISMO 
Caixão é arrombado em cemitério  

       Pessoas ainda não identificadas violaram uma sepultura do cemitério Recanto da Paz, no Jardim Rosele, em Araçatuba. O local onde está sepultada a aposentada Antônia Marciano Martins amanheceu ontem escavado. Os vândalos chegaram a estourar a tampa do caixão e a mexer nas vestes, mas não levaram nada. 
A mulher havia sido sepultada anteontem — ela morreu aos 86 anos — e foram as filhas de uma das funcionárias do cemitério, Julice de Freitas Antônio, que fazem limpeza em túmulos, que descobriram o vandalismo. 
“Em sete anos que trabalho aqui, é a primeira vez que vejo acontecer uma coisa dessas”, disse Julice, lembrando que nem mesmo o terço deixado junto à mão de Antônia foi retirado. 
Um dos sete filhos da aposentada, a dona de casa Judith Martins, 59, disse não ter idéia de quem possa ter violado a sepultura. “Não imagino quem pode ter desrespeitado o lugar de uma mulher simples e querida por todos.” Dona Antônia residia no bairro Icaray, onde viveu por mais de 30 anos e era muito conhecida no bairro. 
O delegado do 3º Distrito Policial, Nelson Barbosa Filho, disse que a única pista deixada pelos invasores do cemitério foi a pá com a qual fizeram a escavação. “Os peritos foram ao túmulo para levantar possíveis indícios que nos levem aos autores. Uma das hipóteses com que trabalho é a de que os vândalos estavam interessados em outro túmulo e acabaram errando o endereço”, comentou. 
Os familiares da aposentada estiveram ontem ainda pela manhã no cemitério para certificarem que não estava faltando nada na sepultura. Em seguida, o caixão foi coberto e a coroa de flores novamente depositada. (M.S.C.) 
 
 

Foto: Paulo Gonçalves
DESRESPEITO/ Julice ajeita coroa de flores na sepultura  
 
 
 

 
 
 
SEGURANÇA 
PF deve ser instalada  
na Vila Estádio  

Manoel Martins dos Santos 

       A delegacia da Polícia Federal de Araçatuba deverá ser instalada na rua Miguel Caputi, 621, Vila Estádio. O imóvel pertence a Wanda Edith Meira Costa, única pessoa que apresentou proposta em licitação da Prefeitura de Araçatuba. 
Segundo o secretário de Administração, Sérgio Alves Pinto, a proposta de Wanda Costa, que pediu R$ 2,1 mil mensais pelo aluguel do prédio, ainda não foi homologada. 
É que seis imobiliárias que também receberam convite para participar da licitação mas não entraram têm prazo até hoje para apresentar eventuais recursos. Se isso não ocorrer, a prefeita Germínia Venturolli homologará a proposta até quinta-feira. 
O imóvel oferecido atende os requisitos da licitação: tem 11 salas (sete com ar-condicionado), três sanitários, garagem para quatro veículos, muro com grade na frente e fica a cerca de 1.500 metros da Receita e Justiça Federal. 
A delegacia, cuja instalação pode ser antecipada de maio para abril, abrangerá cerca de 40 municípios e deverá ter pelo menos dois delegados, três escrivães e 20 agentes. 
Além de alugar o prédio, a prefeitura vai ceder três funcionários, um aparelho de fax, duas linhas telefônicas e um cofre. 
 
 
 



 

 
MIRANDÓPOLIS 
Oito presos fogem  
de penitenciária  

Manoel Martins dos Santos 

      Oito presos, entre eles o assaltante Edgar dos Santos Silva, 31 anos, de Araçatuba, fugiram anteontem de manhã da Penitenciária Nestor Canoa, em Mirandópolis. O diretor da penitenciária, Maurício de Freitas, culpou ontem a Polícia Militar pela fuga. 
Silva foi condenado recentemente a 5 anos e 6 meses de reclusão por assalto a mão armada, em dezembro do ano passado, à casa do comerciante Mauro Pioli Limieri, em Birigüi, de onde roubou R$ 130 mil em dinheiro, cheques e objetos. Também é suspeito de envolvimento no roubo de R$ 1,7 milhão da empresa de transporte de valores Protege, em outubro de 1997, em Araçatuba, e responde a processo criminal porque guardava em uma chácara de sua propriedade grande quantidade de armamento pesado e explosivos, apreendidos pela Polícia Militar em dezembro de 1998. 
Além de Silva, escaparam Sandro Pedrosa, 29 anos; Ricardo Tadeu de Souza, 20; Armando Ricardo Pires, 33; Adnilson Antônio da Silva, 28; Gilberto Marques dos Santos, 29; João Rosa Mesquita, 40; e José Fábio de Matos. 
O diretor da penitenciária, considerada de segurança máxima, disse que a fuga teria ocorrido entre 7h e 9h. Naquele horário, cerca de 100 pessoas visitavam os presos. Freitas contou que os fugitivos estavam nas celas 326, 330 e 332, do pavilhão três, que tiveram grades serradas. Até o final da tarde de ontem nenhum havia sido recapturado. Ao todo havia 18 sentenciados nos três xadrezes. 
Os fugitivos pularam um alambrado de 4 metros de altura e depois escalaram uma muralha, que tem 7 metros e quatro torres de vigilância com um policial militar cada uma. 
O diretor não quis falar em facilitação de fuga, mas afirmou que houve pelo menos “uma falha muito grave” da Polícia Militar. A fuga só foi descoberta por volta de 16h30, durante a recontagem dos presos. 
Um inquérito policial militar aberto no 28º Batalhão da PM, em Andradina, vai apurar se houve negligência ou conivência dos policiais de plantão. A direção do presídio também instaurou uma sindicância. 
 
 
 

Foto: Arquivo
FUGITIVO/ O assaltante Edgar dos Santos Silva, que está entre os que fugiram anteontem  
 
 
 

 
 
 
ANDRADINA 
Prefeitura  
vai abrir  
concurso  

       A Prefeitura de Andradina realiza no dia 8 de abril concurso para preenchimento de oito vagas de encanador, três de moldador de tubos e guias, três de borracheiro e oito de auxiliar sanitário. 
Os candidatos devem se inscrever no Setor de Pessoal da prefeitura entre os dias 29 e 31, das 12h às 16h. Para participar do concurso para auxiliar sanitário, cujo salário inicial é de R$ 413,62, os candidatos devem comprovar que possuem o primeiro grau completo e pagar taxa de R$ 10,00. Para as demais vagas, o candidato precisa ser apenas alfabetizado. Não há taxa de inscrição. O salário para encanador e moldador é de R$ 204,19. Para borracheiro, R$ 188,00. (Jean Oliveira) 
 
 

SALÁRIOS 
Tribunal diz que prefeitura  
tem que pagar no 5º dia útil  

       O TRT-15 (Tribunal Regional do Trabalho de Campinas) ratificou a decisão da Justiça do Trabalho de Andradina que obriga a prefeita Edna Brito (PRP) a pagar os 1,2 mil servidores municípios de Andradina até o quinto dia útil de cada mês. Caso não cumpra a decisão, ela terá que pagar multa diária de R$ 11 mil. 
Segundo o advogado dos Sindicato dos Servidores, Nelson Ferreira Prado Garcia, o prazo para aplicar a decisão agora depende apenas da devolução do processo à Justiça de Andradina. 
“Talvez não haja tempo hábil para aplicação já em abril, mas esperamos que para maio esteja tudo resolvido”, disse Garcia. 
Os servidores têm recebido os salários entre os dias 12 e 20. A prefeita já antecipou que não tem como pagar o funcionalismo em dia. 
Ela disse que o dinheiro no caixa da prefeitura no começo do mês é insuficiente. (J.O.) 
 
 
 



 
 

MONÇÕES 
Tribunal liberta ex-prefeito  

Marcelo Dias 

      O ex-prefeito de Monções Edson Luiz Vieira, acusado de ser o mandante do assassinato do prefeito Fernando Ramirez (PSDB), em setembro de 98, está solto desde sexta-feira. Ele foi beneficiado por um habeas-corpus concedido pela Justiça e vai responder o processo em liberdade. 
No fim de semana Vieira estava em Monções e chegou a participar das comemorações do aniversário do município, que tem cerca de 4 mil habitantes. 
O benefício foi conseguido por seu advogado, Elcio Padovez. Vieira estava detido no presídio especial da Polícia Civil de São Paulo desde dezembro de 98, uma vez que é escrivão de polícia. 
A prisão do ex-prefeito foi decretada em 16 de dezembro de 98 pelo Tribunal de Justiça do Estado, acusado de ter mandado matar Ramirez. 
Ricardo Ferreira de Almeida e Ivanildo Pereira da Silva, que estão presos, foram as principais testemunhas que motivaram a prisão do ex-prefeito. Eles informaram à polícia terem recebido R$ 4 mil de Vieira para matar o prefeito. 
Ramirez foi encontrado morto em 22 de setembro de 98 em uma vicinal próximo aos municípios de Turiúba e Lourdes, com oito tiros e sinais de tortura. 
Durante esse período, Monções teve três prefeitos. Depois da morte de Ramirez, assumiu Vieira, que permaneceu no cargo por 60 dias. Quando foi preso, assumiu Antônio Fagundes Jacó, presidente das Câmara. Em seguida Jesus José Francisco (sem partido) assumiu o cargo em nova eleição e permanece até hoje. 
Vieira declarou à Folha da Região que não pretende concorrer à sucessão municipal. “Vou trabalhar como escrivão. A política só prejudicou a minha vida”, comentou. Com relação à acusação de ser o mandante do crime, o ex-prefeito disse: “Se a Justiça me deu este benefício é porque acredita na minha inocência.” 
 
 

Foto: Arquivo
Em casa/ Vieira, que estava preso em São Paulo até sexta-feira, voltou a Monções  
 
 
 

 
 
 
ITAPURA 
Município  
faz 35 anos  
sem festas  

Jean Oliveira 

     O município de Itapura, com 5 mil habitantes, comemora hoje 35 anos de emancipação política sem festas. O “presente” de aniversário pode ser dado pelo governo estadual, que deve anunciar nos próximos dias o envio de verbas para a conclusão de obras de implantação de rede de esgoto na zona urbana. 
A cidade precisa de R$ 200 mil para instalação dos ramais que ligam a rede principal, construída no ano passado, às residências. Um lagoa de decantação e tratamento foi construída em 99. A obra omeçou em 1998 e atenderá 60% da área urbana. 
Segundo o chefe de gabinete da prefeitura, Hélio Alves dos Reis, a prefeitura não dispõe de verbas para realizar festa de aniversário. “Estamos concentrados nos trabalhos da rede de esgoto e recuperação da prainha”, disse. 

independência — A cidade de Nova Independência também comemora hoje seu 35º aniversário de emancipação. Mas como tem acontecido nas últimas décadas, as comemorações oficiais ocorrerão no dia 6 de agosto, dia do Padroeiro Nosso Senhor do Bonfim. A mudança da data ocorreu por decisão das administrações passadas, que acreditavam na lenda de que todo aniversário comemorado em março é marcado por uma tragédia. 
“A gente respeita esse ditado e sempre transfere as festas para o segundo semestre”, destaca a chefe de gabinete da prefeitura, Marisa Ferreira Lima. 
 
 
 


 
 

CASTILHO 
Câmara  
regulamenta  
nepotismo  

       A Câmara de Castilho aprovou, com veto parcial do prefeito, uma lei que permite os políticos contratar “apenas um parente” na administração pública local. A autora do projeto, vereadora Maria Júlia Louzada (PSDB), disse que, apesar das alterações, se considera vitoriosa. “Já tivemos prefeitos com mais de 40 parentes contratados e a lei vai impedir esses exageros”, disse a vereadora, que é uma das duas mulheres que compõem o Legislativo, de 13 representantes. 
A contratação será possível para familiares a partir do terceiro grau de parentesco — exclui apenas filhos, sobrinhos e netos. Cunhados, genros e cônjuges não são considerados parentes e, por isso, poderão continuar sendo nomeados para os chamados “cargos em comissão”. 
Conforme o texto original do projeto, o parente só seria contratado após confirmação da capacidade técnica para ocupar o cargo, mas o prefeito Adão Severino Batista (PPB), que empregou pelo menos quatro familiares próximos para a assessoria, vetou os artigos que estabeleciam esse critério. (Agência Estado) 
 
 
 


 
 
 
 
 
 

Horta comunitária em Birigüi  

A população do bairro Quemil, de Birigüi, também terá uma horta comunitária, a 43ª da cidade. O espaço será entregue aos moradores no domingo. A horta do Quemil tem uma área total de 4.370 metros quadrados. Cento e vinte e cinco famílias serão diretamente beneficiadas, cada uma delas podendo cultivar até quatro canteiros. A produção é utilizada pelas famílias responsáveis pelos cuidados com as culturas. A prefeitura cede o terreno, a água, as sementes e o adubo, prepara os canteiros e coloca à disposição técnicos agrícolas para orientação. 

Saúde recebe  
aparelhos  

A Secretaria de Saúde de Birigüi recebeu do governo estadual diversos equipamentos que serão utilizados na prevenção e tratamento das chamadas DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis) e aids. Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura, os equipamentos são um colposcópio (utilizado para exames ginecológicos), uma mesa ginecológica, uma mesa auxiliar, pinças para biópsias e lupas. Os aparelhos já estão instalados e funcionando no Ambulatório de DST/Aids da Unidade Básica de Saúde 5, no bairro Santo Antônio. 

Daep define  
palestrantes  

O Daep (Departamento de Água e Esgoto de Penápolis) definiu os palestrantes do 4º Fórum de Saneamento e Meio Ambiente, que será realizado sábado, no auditório da escola estadual Carlos Sampaio Filho. Foram confirmados os nomes de Jesus Manuel Delgado Mendez, engenheiro agrônomo na área de Política e Planejamento de Recursos pelo Departamento de Recursos Naturais da Universidade de Cornell Ithaca, em Nova York, e por Márcia Monteiro Manzano, pedagoga do Centro de Educação Ambiental do Daep. Mendez vai abordar o tema “Gestão ambiental municipal: desafios dos próximos anos”, e Márcia, “As Ações do Daep no contexto da política nacional de saneamento e meio ambiente”. 

Senac entrega certificados  

O Senac de Araçatuba faz hoje a cerimônia de entrega de certificados aos participantes que concluíram no ano passado as atividades do Programa de Educação para o Trabalho. Ao mesmo tempo, a unidade vai fazer a solenidade de lançamento de duas novas turmas do referido programa em 2000, evento que estará acontecendo simultaneamente também nas demais unidades da Rede Senac do Estado de São Paulo. 

 


 
 

 
 
 
 
Volta ao topo da página