Cidades
cidades@folhadaregiao.com.br
 
 
 
 

SEGURANÇA PÚBLICA 
Cidade vai ter delegacia da PF 

José Marcos Taveira 

       Araçatuba é uma das 21 cidades do país que receberão uma delegacia da Polícia Federal. A unidade vai fortalecer o combate ao tráfico de drogas na região, além de atuar em casos de contrabando, dinheiro falso e investigações que envolvam crimes federais, como a sonegação de impostos. 
Também caberá à Polícia Federal de Araçatuba investigar crimes eleitorais e praticados por políticos da região. Esse serviço é realizado hoje pela Delegacia Seccional de Polícia da cidade. 
Outro benefício trazido com a nova delegacia será a expedição de passaportes. Atualmente, o documento somente é conseguido na região através da Polícia Federal de Presidente Prudente. 
A instalação da Polícia Federal de Araçatuba, criada através da portaria 648, de 18 de novembro de 1999, assinada pelo ministro da Justiça, José Carlos Dias, foi publicada na edição da última sexta-feira do Diário Oficial da União. Na região noroeste do Estado, Marília será outra cidade beneficiada. 
Uma semana antes de assinar a portaria, o ministro havia anunciado a abertura de nove mil vagas para a contratação de agentes federais. As novas delegacias em todo país, segundo ele, fazem parte de pontos estratégicos para “a repressão ao contrabando, tráfico de drogas, roubo de cargas e outras formas de crime organizado”. 
A instalação da unidade de Araçatuba foi anunciada ontem pelo deputado federal Maluly Neto (PFL), que tentava inicialmente a abertura de um posto da Polícia Federal com a função de, pelo menos, expedir passaportes. 
O parlamentar calcula que a delegacia seja instalada até o início do próximo ano. “Vou trabalhar para agilizar isso”, garantiu. Para ele, a vinda de agentes federais para a cidade ajudará a “intimidar” os bandidos. 
Segundo o delegado titular da Polícia Federal de Presidente Prudente, que é responsável pela região de Araçatuba, Roberto Gurgel de Oliveira, há convênio entre o Ministério da Justiça e a secretaria estadual de Segurança para que os agentes trabalhem em conjunto com as polícias Civil e Militar na repressão ao tráfico de drogas. 
 
 



 

NARCOTRÁFICO 
Relatório diz que  
cidade é rota do tráfico 

       Um relatório enviado pela Polícia Federal à CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Narcotráfico aponta Araçatuba como um dos pontos de apoio da chamada máfia nigeriana para o tráfico internacional de drogas. O documento não traz detalhes sobre a ação da máfia na região, mas também cita Três Lagoas (MS), a cerca de 150 quilômetros de Araçatuba, como outra base importante. 
A Folha da Região teve acesso a uma cópia do relatório, preparado em 1995, que traça todo o esquema da organização, principalmente em São Paulo, desde 1990. A Polícia Federal, em Brasília (DF), confirmou ontem a existência do relatório. Mas a assessoria de comunicação afirma que a investigação é sigilosa e não pode dar detalhes à imprensa. 
Dois deputados federais integrantes da CPI, Laura Carneiro (PFL/RJ) e Wanderley Martins (PDT/RJ), também foram ouvidos ontem à tarde pela Folha da Região enquanto acompanhavam o depoimento da ex-amante do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, Alda Inês dos Anjos Oliveira (veja matéria na página 4). Eles afirmam desconhecer o documento. Na secretaria da CPI, a informação foi a mesma. 
O teor do relatório foi divulgado ontem pelo jornal “O Estado de S.Paulo”. Segundo o repórter Hugo Marques, da sucursal do jornal em Brasília, o documento já está nas mãos da CPI. Ele limitou-se a dizer que conseguiu uma cópia por meio de uma fonte entre os membros da comissão. 
A investigação aponta que empresas da Capital estariam apoiando os nigerianos nos últimos 15 anos a se instalarem no país. A máfia agiria em 20 países com o Brasil como “ponto de apoio”. 
O delegado titular da Polícia Federal de Presidente Prudente, que abrange a região de Araçatuba, Roberto Gurgel de Oliveira, também desconhece o relatório. Ele classifica a cidade de Araçatuba como “igual a outras da região”, sem privilégios por parte dos traficantes ou mesmo sob atuação da máfia nigeriana. “Tudo é rota hoje em dia, basta ter um local em que o traficante possa passar”, afirma. 
Oliveira diz que os nigerianos costumam ser flagrados somente em grandes aeroportos. Ele também confirma que Araçatuba possui várias pistas clandestinas em fazendas, mas que podem ser usadas tanto pelos próprios fazendeiros como pelos traficantes. 
O titular da Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (Dise) de Araçatuba, Jaime José da Silva, diz que investigou alguns nigerianos suspeitos que se hospedaram em um hotel da cidade em 1996. Mas não constatou nada naquela época nem nos últimos anos. 
Este ano, as polícias Civil e Militar realizaram grandes apreensões na cidade. Somente em setembro foram 176 quilos de maconha. 
Em abril de 1998, um avião monomotor despejou 60 quilos de cocaína numa fazenda em Santo Antônio do Aracanguá, a 30 km de Araçatuba. Os traficantes conseguiram fugir com a droga, mas o aparelho foi apreendido dias depois. Um mês antes, policiais federais apreenderam na praça de pedágio de Glicério, na Rodovia Marechal Rondon, 142,5 quilos de cocaína com um agente policial de São Paulo. (J.M.T) 

 
 
Foto: Paulo Gonçalves
TRANSPORTE/ Policial inspeciona avião 
que despejou cocaína em Aracanguá em 98
 
 

PF suspeita 
do uso de 
aeroportos 

      Aeroportos do interior do Estado de São Paulo vêm sendo apontados como supostas rotas de distribuição de drogas vindas de Goiás e Rondônia. 
Delegados da Polícia Federal estão cruzando as informações das rotas feitas pelo chefe de uma das grandes quadrilhas de Rondônia preso este ano, Maximiliano Dorado Munhoz Filho, o Max. Ele foi condenado a 15 anos de prisão por tráfico internacional de 700 quilos de cocaína. 
Max era o principal fornecedor da droga para Campinas e diversas cidades do interior. Seu irmão, Ozziê Dorado Munhoz, foi preso no mês passado em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, com 45 quilos de pasta base de cocaína. 
Em Goiás, a polícia investiga esquema semelhante de distribuição de droga. Ela era enviada para o exterior e distribuída no eixo Rio-São Paulo. Era procedente da Colômbia e entrava no Brasil pelo Suriname. Para enviar cocaína para a Europa e Estados Unidos, os traficantes usaram aeroportos do interior paulista e até o porto de Vitória (ES). 
A CPI do Narcotráfico espera chegar aos grandes chefões da cocaína no país e descobrir pessoas envolvidas com o tráfico na região de Campinas, onde está montado o esquema de lavagem de dinheiro do empresário William Sozza.  (Agência Estado) 
 
 



 
 

SANEAMENTO 
Esgoto vai encarecer tarifa 

Chico Siqueira 

      A tarifa de água e esgoto cobrada em Araçatuba vai ser reajustada a partir do início do ano que vem, com a entrada em funcionamento da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), que está em construção há dois anos no município. 
O índice do reajuste ainda não está decidido — poderá subir até 44% — mas é certa a inclusão do novo serviço (tratamento de esgoto) na composição do preço final da tarifa. 
Na tarifa, também deverá ser embutido o repasse do reajuste de valores que o consórcio Sanear, concessionário do serviço, pretende impor ao Departamento de Água e Esgoto de Araçatuba (Daea) pelo aumento de 54% do custo da obra, que saltou de R$ 11,1 milhões, previstos no contrato em 96, para R$ 17 milhões em 99. 
As informações foram transmitidas à imprensa ontem pelo presidente do Daea, Orlando Saliba, e pelo diretor-executivo do Sanear, Rodney Terra Smith. Os dois participaram da visita que a prefeita de Araçatuba, Germínia Venturolli (PRP), fez pela primeira vez à obra. 
Segundo Saliba, a população deverá pagar pelo novo serviço, que possibilitará ao município tratar 98% do esgoto doméstico produzido — a estação vai tratar 80%, outros 18% já são tratados em lagoas. “A população vai receber um novo serviço e é justo que pague por ele. O Daea é um departamento e não pode assumir o prejuízo”, afirmou Saliba. 
Atualmente, a tarifa de água e esgoto é composta pelos preços das taxas de consumo da água, de serviço de coleta do esgoto e de expediente. A tarifa mínima é de R$ 7,33, sendo R$ 3,61 pelo consumo da água e R$ 2,89 pela coleta do esgoto, além de outros R$ 0,83 de expediente. Ou seja, o valor da coleta de esgoto representa 80% do valor do consumo de água. 
Mesmo não estando definido, a expectativa é de que o preço do serviço de tratamento de esgoto também fique por volta de 80% do valor do consumo de água. Se isso ocorrer, serão somados outros R$ 2,89 à tarifa mínima, que saltaria de R$ 7,33 para R$ 10,21, um reajuste de 44%. 
Durante a visita, Saliba também recebeu a informação de que o Sanear vai pleitear uma atualização dos custos da obra, que aumentaram em 54% nos dois anos de construção. O aumento dos custos, segundo Smith, ocorreu devido à variação cambial no período. O Sanear está estudando o quanto deverá repassar ao Daea. 
Smith deixou claro, ontem, que o valor tarifário, pactuado em 96, está abaixo do valor que o Sanear pretende cobrar. Pelo contrato, o valor tarifário a ser cobrado pelo tratamento de esgoto é de 0,3797 por metro cúbico de esgoto tratado. Um valor bem inferior aos 0,30 cobrados pelo consumo de água. 
Tanto Smith quanto Saliba disseram que os cálculos serão efetuados depois que a obra estiver concluída. Pelo cronograma oficial, a estação deveria entrar em funcionamento em novembro, mas vai atrasar, segundo Smith, devido à demora na importação dos equipamentos e à necessidade de se fazer testes na estação antes de colocá-la em funcionamento. 

 
 
Foto: Paulo Gonçalves
VISITA/ O diretor-executivo do Sanear, Rodney Smith, e a prefeita observam obras da estação de tratamento de esgoto
 
 



 
 

TRIBUTOS 
Campanha de desconto  
arrecada R$ 250 mil 

      A Prefeitura de Araçatuba conseguiu arrecadar até ontem cerca de R$ 250 mil com a campanha que dá descontos de até 50% para pagamento de tributos e débitos fiscais vencidos até 31 de dezembro de 98. A campanha, válida por 30 dias, começou no dia 10. 
O valor arrecadado é pequeno diante da previsão de arrecadação da prefeitura, que é de R$ 7 milhões a R$ 8 milhões até o final da campanha. Atualmente, a dívida vencida até o final de 98 gira em torno de R$ 35 milhões. 
De acordo com o secretário municipal da Fazenda, José Luís Rovedilho, a expectativa é que a arrecadação aumente a partir da semana que vem, com a entrada da primeira parcela do 13º salário no bolso dos contribuintes. 
Por isso, a prefeitura fez ontem um alerta pedindo para os devedores quitarem o débito até o final do mês, pois só assim terão acesso aos descontos do IPTU de 2000, aos quais o pagamento dá direito. 
É que a lei que concedeu os descontos também beneficia quem pagar a dívida até a data da emissão dos carnês do IPTU. Segundo Rovedilho, a impressão está marcada para o início de dezembro. “Como os bancos mandam os arquivos com atraso, pedimos que os interessados, caso queiram ter acesso aos descontos do IPTU do ano que vem, façam os pagamentos até o final do mês”, declarou Rovedilho. 
Pela lei 5.462, que regulamenta a campanha de descontos, quem não tiver devendo nada para a prefeitura, terá desconto de 20% no pagamento parcelado e de 30% no pagamento à vista do IPTU. 
Para os que pagarem a dívida até a data de impressão dos carnês, os descontos caem para 10% parcelado e 20% no pagamento à vista. Quem pagar o IPTU à vista, mesmo com dívidas na prefeitura, o desconto de 10% é garantido pelo Código Tributário Municipal 
Rovedilho esclarece que a campanha continuará valendo mesmo depois da emissão dos carnês. Neste caso, o devedor poderá obter descontos de 20% a 50% da dívida antiga, dependendo da forma de pagamento, que poderá ser em até 24 parcelas. (C.S.) 
 
 



 
 

FISCALIZAÇÃO 
Ipem acha 1 irregularidade 
em 78 táxis vistoriados 

      O Ipem (Instituto de Pesos e Medidas) de Araçatuba encontrou uma irregularidade entre 78 taxímetros vistoriados ontem e anteontem em Araçatuba. Os motoristas têm prazo até hoje, das 9h às 15h, para comparecer à pista em frente ao aeroporto para a fiscalização. 
De acordo com o supervisor técnico do Ipem, Gerson do Nascimento, a única autuação aconteceu porque o proprietário do veículo não havia levado o carro para aferição, obrigatória a cada 12 meses. “Não chega a ser uma infração grave porque não houve rompimento do lacre do taxímetro, o que levaria à possível adulteração”, explicou Nascimento. O taxista regularizou a situação, mas seu caso será julgado pelo órgão. A pena será desde advertência a multa que pode chegar a R$ 2,4 mil. 
Ao todo, 42 táxis com placas final par e 36 de final ímpar, foram fiscalizados. Como 22 taxistas já tiveram os aparelhos aferidos este ano durante o licenciamento do veículo, o supervisor estima que faltam ainda se apresentar outros 25. 
O Ipem realizará entre amanhã e sexta-feira a aferição de balanças e instrumentos de medidas utilizados nas feiras livres. A aferição acontecerá das 8h30 às 16h, na rua Pedro de Toledo, 310. (M.S.C.) 

 
 
Foto: Paulo Gonçalves
TESTE/ Técnico do Ipem verifica taxímetro 
em frente ao aeroporto de Araçatuba
 
 



 
 

CAMPANHA 
Italiano anuncia  
ajuda para janeiro 

Fernanda Vicente 

      Entidades que desenvolvem trabalhos sociais em Araçatuba e Guararapes vão receber ajuda financeira da Itália a partir de janeiro. A previsão é do presidente da associação internacional Amigos das Crianças (Associazione Amici dei Bambini), Marco Griffini, que está em Araçatuba. 
Segundo ele, os valores ainda não foram definidos porque a campanha para arrecadação de recursos ainda está em andamento. O dinheiro vai beneficiar o Lar Assistencial Carlos Harmon, 36 famílias dos bairros São José e Mão Divina e o projeto de Reinserção Social de Crianças e Adolescentes, todos de Araçatuba, além do Colégio Dom Orione, de Guararapes. 
A associação é uma organização humanitária internacional, criada em janeiro de 1986, por iniciativa de pais adotivos ou com guarda temporária, para ajudar menores em dificuldade na Itália e no mundo. Entre os trabalhos que desenvolve estão auxílio e acompanhamento de casais interessados na adoção e ajuda financeira a famílias de baixa renda e entidades assistenciais. 
Na opinião de Griffini, a adoção internacional só deve ocorrer quando estiverem esgotadas todas as tentativas de manter a criança com a família ou conseguir um outro lar no próprio país de origem. Por isso, de acordo com ele, os projetos de ajuda à distância são fundamentais. A proposta é ajudar famílias carentes e evitar que abandonem seus filhos. 
No Brasil, a associação atua desde 1991. Além de promover adoções internacionais, desenvolve projetos de ajuda à distância em Belo Horizonte (MG), Londrina (PR), São Paulo (SP), Pouso Alegre (MG), entre outros municípios. 
Segundo Griffini, os projetos de ajuda à distância também têm como objetivo forçar as autoridades locais a investirem em trabalhos sociais para que “não precisem para sempre da ajuda italiana”. 
A associação já intermediou mais de mil adoções internacionais, a maioria delas no Brasil. Conforme Griffini, isso não significa que os pais adotivos têm “preferência” pelo Brasil. “Os pais não podem ter preferência. Mas a criança brasileira tem sentimentos bem semelhantes às italianas”. 
Griffini chegou ontem em Araçatuba, acompanhado do diretor da associação no Brasil, Antonio Carlo Berlini, e da diretora na América Latina, Dorina Caldara. No final da manhã, ele esteve com a prefeita Germínia Venturolli. No período da tarde, Griffini visitou as entidades que receberão ajuda italiana. 
Ele também anunciou a instalação de um escritório da associação em Araçatuba no ano que vem. O representante da entidade no município é o professor Giovanni Baldan. 

CONVENÇÃO — Hoje, Griffini participa do encontro de atualização em direito da criança e do adolescente, promovido pela associação e pelo Circolo Italiano de Araçatuba, a partir das 10h30, no Hotel Riviera. 
Ele falará sobre a Convenção de Haia, um documento de 1993 que regulamenta os procedimentos de adoção entre os países de origem das crianças e os países de acolhimento. A convenção foi ratificada por 27 nações, entre elas, o Brasil. 
Segundo Griffini, o documento prevê a criação de uma comissão em cada país, que seria responsável pelos processos de adoção internacional, além de regimentos internos. Dessa maneira, esses processos seriam mais seguros tanto para as famílias quanto para as crianças. 
Outra norma da convenção é que os organismos credenciados às comissões desenvolvam projetos de cooperação com os países de origem das crianças para evitar o abandono de menores. 

 
 
Foto: Lécio Jr.
VISITA/ Griffini (agachado, o 2º da esq. para 
dir.) com crianças do Lar Carlos Harmon
 
 



 
 

SAÚDE 
Obra do Centro 
de Controle de 
Zoonoses é adiada 

Cláudia Russo 

      A construção do Centro de Controle de Zoonoses, que começaria há mais de 20 dias, foi adiada para o mês que vem. A obra será iniciada depois que a prefeitura assinar convênio com a Fundação Nacional de Saúde (FNS). A assinatura do convênio está marcada para dezembro. Será o último fechamento de convênio para centros de zoonoses este ano. 
Além do dinheiro para a obra civil, a Prefeitura de Araçatuba recebeu promessa para outro convênio, com finalidade de equipar o centro. O envio de equipamentos será estudado em período próximo ao final da construção. 
A prefeitura ia realizar com recursos próprios a obra, orçada em R$ 378 mil, mas agora vai gastar apenas R$ 75 mil de contrapartida. A economia será de R$ 288 mil. O projeto, inadequado às exigências do governo, ficou emperrado no Ministério da Saúde quatro anos. No fim do mês passado, o ministro da Saúde José Serra esteve em Araçatuba e anunciou que liberaria verba para o centro de zoonose da cidade. 
Na semana passada, o engenheiro José dos Santos Sá Filho, da secretaria municipal de Planejamento, esteve em São Paulo com o coordenador do Centro Nacional de Epidemiologia (Cenepi), Francisco Anilton Araújo, e recebeu dele as instruções para concertar algumas falhas do projeto. As adequações na parte descritiva foram feitas na hora e o projeto levado à Brasília por Anilton Araújo. 
Conforme explicações de Sá Filho, a planta arquitetônica estava correta. O erro foi constatado na funcionalidade do centro. Algumas especialidades estavam distribuídas em salas erradas e outras com nomes inadequados. No projeto correto, o laboratório de entomologia foi transferido para a sala de técnica. No lugar funcionará a ala de pessoal operacional. No bloco de apoio a vetores, a sala de operadores de campo e almoxarifado vai abrigar o setores de inseticida 1 e 2. “Fizemos apenas uma mudança de denominações”, disse Sá Filho. 
Na descrição havia ainda pedido de equipamentos para combate a roedores, mas não existia sala para esse tipo de atividade. O coordenador pediu também a inclusão de baias individuais para isolar animais de grande porte. 
A construção das baias, que não constou no orçamento, será paga pela prefeitura. O Centro de Controle de Zoonoses é um local onde são desenvolvidas pesquisas e atividades ligadas ao combate de doenças que os animais transmitem ao homem. 
 
 

Centro será erguido 
perto do zoológico 

     A prefeitura vai construir o Centro de Controle de Zoonoses em um terreno de 8 mil metros quadrados na rua Alvarez de Azevedo, próximo ao zoológico municipal Flávio Leite Ribeiro. Serão 1.254 metros quadrados de construção. A previsão de entrega é de 150 dias após início da construção. 
A empresa que venceu a concorrência para fazer a obra, a Engetec Valparaíso Engenharia e Construção, ainda não assinou o contrato com a prefeitura. A empresa pediu ao departamento jurídico da prefeitura a revisão do valor pedido para caução. 
O centro será a sede administrativa para desenvolver todos os tipos de programas sobre doenças transmitidas ao homem pelos animais, como a raiva, leishmaniose visceral, leptospirose, entre outras. O centro deve ser equipado com materiais de pesquisa e locais adequados para tratamento e vacinação dos animais. 
Com a construção do centro, animais doentes, hoje atendidos no canil improvisado na Secretaria de Obras e Serviços Públicos (Sosp), serão levados para lá, onde serão tratados e ou sacrificados em locais especiais. A vacinação de animais domésticos, hoje realizada em campanhas esporádicas, poderá ser desenvolvida continuamente e com mais eficiência dentro do centro. 
O prédio do centro terá três blocos. Uma ala administrativa, outra especializada em diagnóstico e uma terceira destinada a cirurgias e pesquisas. (C.R.) 
 
 



 
 

JORNADA 
Educadora critica  
falta de limites 

     A falta de limites na educação pode ter conseqüências graves na formação da criança. Um exemplo são os adolescentes de classe média alta que partem para a marginalidadade. 
A constatação é da educadora Tânia Zagury, do Rio de Janeiro, que participou ontem, em Araçatuba, da 3ª Jornada da Família, promovida pelo Colégio Salesiano. Ela é autora de oito livros, dos quais quatro tratam da educação sem limites. Tânia estuda o tema há 12 anos. 
De acordo com ela, os adolescentes educados sem limites não aprendem a respeitar o direito dos outros e só querem fazer o que gostam. Tânia afirmou que os pais têm medo de serem autoritários e se sentem inseguros. 
“Os pais se sentem culpados por estarem ausentes e, quando chegam à noite em casa, querem compensar essa ausência e deixam os filhos fazerem tudo o que querem”. 
Segundo Tânia, os pais tentam superproteger os filhos e evitar que eles tenham frustrações. “O papel da família não é evitar frustrações para os filhos. Pequenas frustrações ajudam a estruturar sua percepção sobre o mundo e os direitos dos outros”, disse. “Tudo isso torna torna a criança enjoada, difícil de conviver em casa. E, ao longo dos anos, pode trazer conseqüências mais graves, como o grande percentual de jovens de classe média alta que acabam se marginalizando”. 
De acordo com Tânia, os pais têm medo de ensinar os filhos a serem corretos porque acreditam que possam ser desfavorecidos na sociedade, onde vence “quem é mais esperto”. Com isso, deixam passar algumas oportunidades de dar bons exemplos. 
“O papel da família é formar cidadãos éticos principalmente nos dias de hoje. E a formação da ética e da moral se dá pelo exemplo, pela segurança e atitude dos pais”. 
Tânia afirmou que os pais não devem jamais deixar os filhos agirem de maneira antiética. Ela citou como exemplo a situação em que o professor corrige uma prova errada e atribui uma nota maior do que a correta. Nesse caso, segundo ela, o filho deveria ser orientado pelos pais a informar o erro para o professor. “As pessoas estão abaladas na sua forma de perceber o que é certo e o que é errado”. 
Conforme a educadora, não existem “receitas prontas” sobre como educar os filhos. Na verdade, segundo ela, há diretrizes que devem ser seguidas. 
“Quando o filho pede alguma coisa, os pais devem sempre pensar se permitir aquilo vai contribuir para ele ser uma pessoa justa, honesta e solidária ou para ser uma pessoa individualista e consumista”. 
A Jornada prossegue hoje com a palestra do mestre e doutor em geografia e história pela Universidade de São Paulo (USP), Celso Antunes. Ele falará sobre “A inteligência emocional e seus estímulos na relação entre pais e filhos”. 
Amanhã, a palestra de encerramento da jornada, será com o psiquiatra Içami Tiba. Ele abordará o tema “Anjos caídos: como prevenir e eliminar as drogas da vida do seu filho”. (F.V.) 

 
 
Foto: Paulo Gonçalves
BARREIRA/ Tânia afirma 
que pais devem impor limites 
 
 



 
 

JUSTIÇA 
Aparelhos da Cinti  
FM são apreendidos 

Manoel Martins dos Santos 

       A rádio Cinti FM, de Araçatuba, que pertenceria ao ex-deputado estadual Sidney Cinti (PSDB) e sua mulher, Maria da Conceição Damasceno Cinti, está fora do ar desde o dia 16, quando todos os seus equipamentos foram apreendidos em razão de uma ação trabalhista. 
Avaliado em R$ 9,3 mil, o material, incluindo um transmissor e 816 CDs, foi arrematado em leilão judicial pelo radialista Sandro Rogério Spironelli, que trabalhou na emissora de fevereiro de 96 a abril de 97. 
Demitido sem justa causa, ele processou a Associação Comunitária Araçá, Cinti e Conceição. A associação, oficialmente dona da rádio, tem como representantes legais dois ex-assessores de Cinti, José Arlindo de Campos Júnior e João Lafayete Marques Costa. 
Spironelli alegou que trabalhou sem registro em carteira e foi demitido sem receber direitos como aviso prévio, 13º salário, férias, saldo de salários, comissões de vendas e FGTS. 
A ação entrou na 2ª Junta de Conciliação e Julgamento em 30/6/97. Em 23/9/97, a juíza Katia Liriam Pasquini Braiani Santos deu ganho de causa ao radialista, mas excluiu Cinti e Conceição do processo. A justificativa da juíza foi que o ex-deputado e sua mulher não apareciam no contrato social da rádio. 
A advogada de Spironelli, Olga Sedlacek Mitidiero, não se conformou e recorreu. 
A advogada argumentou que Cinti e Conceição tinham que ser considerados empregadores e permanecer no processo porque, embora não figurassem no contrato social da rádio, sempre apareciam na emissora e davam ordens a Spironelli. No entanto, o recurso de Olga foi rejeitado. 
A Associação Comunitária Araçá não recorreu da sentença, que se tornou definitiva e a obrigou a pagar R$ 11 mil ao radialista. Em 23/6/98, para garantia do pagamento da indenização, a Justiça do Trabalho penhorou bens pessoais de Lafayete, avaliados em R$ 2 mil, mas não encontrou Arlindo para completar a diferença necessária ao pagamento. 
Por isso, em 6/11/98 a Justiça do Trabalho determinou nova penhora, agora dos equipamentos da rádio, que foram a leilão e acabaram arrematados pelo próprio Spironelli. 
Para evitar que o radialista levasse os equipamentos, em 7/4/99 Lafayete e Arlindo firmaram com ele, por R$ 10 mil, um contrato de compra do material e também dos bens pessoais do primeiro. O pagamento seria em 20 parcelas de R$ 500,00, mas foram quitadas apenas quatro, equivalentes ao valor da penhora das coisas de Lafayete, que acabaram liberadas. 
Foi então que Spironelli requereu e obteve da Justiça do Trabalho um documento chamado carta de arrematação, que o habilitou a retirar os equipamentos da rádio, que conseguiu no dia último dia 16. 
 
 

Ex-deputado teria feito ameaças 

      De acordo com a ação trabalhista movida por Sandro Rogério Spironelli contra a rádio Cinti FM, o radialista foi ameaçado pelo ex-deputado Sidney Cinti para não retirar os equipamentos da emissora. 
A primeira ameaça, ocorrida em agosto último, foi levada ao conhecimento da Justiça do Trabalho por uma petição da advogada Olga Sedlacek. No documento, ela informa que “os reclamados não querem entregar os bens objeto da arrematação, inclusive, o sr. Cinti, ex-deputado estadual, que fazia parte do pólo passivo da ação mas foi excluído pela respeitável sentença, ameaçou o reclamante por telefone, dizendo que não quer oficiais de Justiça na rádio dele”. 
Uma segunda ameaça, também por telefone, teria ocorrido no último dia 16, quando Spironelli finalmente conseguiu levar os equipamentos, com a ajuda de um oficial de Justiça. 
Nessa ocasião, também pelo telefone, Cinti teria dito que tinha poder para fechar a rádio Ativa FM, onde o radialista trabalha atualmente. Spironelli registrou um boletim de ocorrência dessa ameaça. 
Assustado, o radialista não quer falar. A Folha da Região apurou que ele escondeu os equipamentos retirados da Cinti FM. Sua advogada também preferiu não se pronunciar. 
A reportagem tentou durante toda a tarde de ontem localizar Cinti, Conceição, Lafayete e Arlindo. No Centro Empresarial Campos Salles, onde a rádio funcionava, o porteiro informou que ninguém aparece por lá há mais de uma semana. Os telefones de Cinti e Conceição não atenderam aos chamados e o casal não deu retorno aos recados da reportagem, que esteve pessoalmente na casa do ex-deputado mas não encontrou ninguém. 
Cinti também é ex-vereador e ex-prefeito de Araçatuba. Nos bastidores políticos, sua candidatura à prefeitura no próximo ano é tida como certa. (M.M.S.) 
 
 



 
 

CRIMINALIDADE 
Acusados de homicídios  
confessam crimes 

Alessandra Morgado 

      A polícia de Araçatuba diz ter esclarecido ontem os dois homicídios ocorridos no fim de semana na cidade. Uma das mortes foi motivada por uma discussão em família entre dois irmãos por causa de emprego. 
De acordo com o delegado titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), José Roberto Lopes, o trabalhador braçal Roberto Rodrigues de Almeida, 35 anos, apresentou-se ontem por volta do meio-dia. Ele alegou em depoimento que a facada que causou a morte de seu irmão, Luiz Rodrigues de Almeida, 33 anos, foi acidental. 
Roberto contou que ao chegar em casa no sábado à noite, no jardim Umuarama, foi recebido pelo irmão armado com uma faca no portão. 
Luiz teria avançado sobre Roberto, que conseguiu derrubá-lo no chão, pegando a faca. Mesmo perdendo a faca, Luiz não se intimidou e avançou novamente. 
Roberto afirma que pediu para o irmão parar, mas na tentativa de defender-se no segundo ataque acabou ferindo-o. Disse ainda que ao perceber o ferimento, soltou a faca e fugiu para casa de um parente, onde ficou escondido até ontem. Ele alega que não tinha nenhuma intenção de ferir ou matar o irmão. 
Luiz teria ameaçado várias vezes matar Roberto caso este não arrumasse um emprego. O acusado está desempregado há dois meses. Roberto não tem antecedentes criminais e deve responder ao inquérito em liberdade. Ele também confessou que tinha bebido cerveja num bar antes de chegar em casa, mas que não estava bêbado. 

ROSELE — O estudante Adriano Gustavo Rocha Guimarães, 18 anos, é o acusado da morte do desempregado Paulo César Chiqueti, 23 anos, na sexta-feira, no Jardim Rosele. A vítima levou um tiro nas costas. 
Segundo a polícia, o rapaz utilizou uma arma que o próprio Chiqueti tinha deixado com ele, um revólver calibre 38 de cano curto. O motivo da morte seria uma briga entre os dois. 
Guimarães se apresentou ontem à polícia para depor. Ele disse que a vítima tinha pedido para que guardasse em casa o revólver e uma porção de maconha. Um dia depois, Chiqueti teria mandado que vendesse a droga, mas como recusou, foi ameaçado de morte. 
Na sexta-feira, Guimarães teria ido à casa de uma amiga, juntamente com Paulo Rodrigo Maranhão, 16 anos, o Pingüim, no jardim Rosele para deixar o revólver que seria devolvido para Chiqueti. Enquanto estava lá, o dono da arma chegou de moto e entrou na área da residência, onde iniciou uma discussão com o rapaz. 
Chiqueti teria agredido Maranhão com um soco e ainda tentou dar um tapa em Guimarães, que pegou o revólver para se defender. O desempregado teria virado de costas para sair, mas o estudante disse ter pensado que iria pegar alguma arma, por isso atirou uma vez. Em seguida, foi para sua casa, jogando fora as balas no meio do caminho. O revólver ficou escondido com ele até ontem. 
 
 



 
 

CRIME 
Escola no bairro Alvorada 
tem materiais furtados 

     A escola municipal de educação infantil (Emei) Izabel Mendes Fontanelli, na rua Florência de Abreu, no jardim Alvorada, em Araçatuba, foi invadida por ladrões na madrugada de ontem. Eles arrombaram a porta do corredor que dá acesso à entrada da escola para conseguir entrar no prédio. 
Foram levados materiais e brinquedos pedagógicos, mas a escola ainda não tinha feito uma levantamento de tudo que foi furtado. 
A farmácia Normal, localizada na rua Carlos Gomes, em Araçatuba, foi roubada por dois homens armados, às 21h de segunda-feira. Eles ameaçaram os funcionários e exigiram que entregassem o dinheiro do caixa, aproximadamente R$ 40,00. 
De acordo com as testemunhas, um dos ladrões era negro, alto, magro e usava camisa vermelha e calça jeans, enquanto o outro era branco, estatura média, cabelo liso e vestia bermuda branca e preta. Os dois fugiram. 
Outro roubo ocorreu na avenida da Saudade, altura da rua Pedro de Toledo, por volta das 19h30 de segunda-feira. O estudante N.C.G.J., 15 anos, teve a bicicleta levada por três rapazes também em bicicletas. 
Um deles ameaçou o garoto dizendo que caso não entregasse a bicicleta, levaria um tiro. Depois de pegarem a bicicleta, os agressores tomaram o rumo do região do Tiro de Guerra. 
A vendedora Cristiana Alves Pereira, 20 anos, moradora do Conjunto Habitacional Ezequiel Barbosa, teve várias peças de roupas, notas promissórias e R$ 70,00 roubados às 22h30 de segunda-feira. 
A vítima estava com um amigo fazendo acertos em clientes, mas precisou parar o carro porque o veículo estava frio, na rua Onório de Oliveira, cruzamento com a rodovia Elyezer Montenegro Magalhães. Cinco desconhecidos em três motos aproveitaram o momento para abordar o casal. 
As vítimas foram seguras pelo pescoço. Os agressores abriram o porta-malas para pegar o material. A vendedora não soube precisar quantas peças de roupas foram levadas. 
Outra tentativa de roubo ocorreu com um funcionário do Baratão Box, na rua Marechal Deodoro, às 10h55 de segunda-feira. O rapaz foi abordado por dois homens usando capacete enquanto estava indo para o banco fazer um depósito. 
Os agressores tentaram pegar o envelope que o funcionário levava, mas o rapaz correu. Um dos agressores ainda tentou atirar contra ele, mas a arma falhou. (A.M.) 

 



 
 

GLICÉRIO 
Construção de nova delegacia 
deve ser iniciada em janeiro 

Iber Vasconcelos Jr. 

     A construção da nova delegacia de Glicério deverá ser iniciada em janeiro. A informação, da prefeita Rosemir Aparecida Torrezan Eid (PTB), foi confirmada pela assessoria de comunicação da secretaria estadual de Segurança. 
O novo prédio, orçado em aproximadamente R$ 110 mil, irá ter cerca de 230 metros quadrados e abrigará também o 4º Grupamento de Polícia Militar. A cidade está sem delegacia há oito meses, desde que o antigo prédio começou a apresentar sinais de desabamento, com rachaduras de até três centímetros de largura e paredes inclinadas. O prédio é de 1930. 
O local, condenado em três laudos, feitos pelo Corpo de Bombeiros de Birigüi, Perícia Técnica da Polícia Civil e Defesa Civil, entrou para o folclore local, sendo considerado assombrado por alguns moradores. 
Neste período, os policiais civis e militares estão instalados em um quarto situado nos fundos da Casa da Agricultura e numa sala anexa à rodoviária. Não existem computadores, telex ou fax. As armas e viaturas existentes atendem de forma satisfatória às duas policias. 
Nas ocorrências onde há flagrantes ou em casos de detenção, não há onde deixar os presos. “Eles são levados para Penápolis”, disse o delegado Cristiano de Oliveira Mello, de Coroados, que responde interinamente por Glicério. Mello acumula ainda a delegacia de Brejo Alegre. 
Quando o delegado precisa falar pessoalmente com um investigador, tem que ir de carro até a Casa da Agricultura, distante cerca de um quilômetro. 
Em pior situação estão os cinco homens da PM. Eles são responsáveis pelo patrulhamento da cidade, o distrito de Juritis e outras 14 vilas. 
Na sede do grupamento, pertencente à 2ª Companhia, baseada em Penápolis, os colchões estão podres, as paredes têm infiltrações e o forro apresenta sinais de apodrecimento. O piso de madeira, quebrado e cheio de buracos, abriga de baratas a sapos. É neste quarto que dormem os soldados da PM durante os plantões de 24 horas. 
O processo pedindo a construção da nova sede foi protocolado na secretaria estadual de Segurança há seis anos e cinco meses. 

 
 
Foto: Iber Vasconcelos Jr.
SITUAÇÃO/ Acima, fachada da rodoviária, onde a polícia está trabalhando; abaixo, antigo prédio da delegacia
Foto: Iber Vasconcelos Jr.
 
 



 
 

ANDRADINA 
Menino de 13 
anos confessa 
11 furtos 

        Com a prisão de um traficante e a confissão de um menor, a polícia de Andradina começou a desbaratar ontem um grupo de menores que pratica pequenos furtos na cidade. A mercadoria recolhida era trocada por maconha na Cohab Dehira. 
Os investigadores chegaram até os meninos após prender, por tráfico de drogas, na última sexta-feira, o servente de pedreiro Willian Roberto da Silva, 24 anos. Na residência de Silva foram apreendidos três bicicletas, um tapete, um videogame, uma TV e um rádio. 
Ontem, o menor J.R.G.S, 13 anos, foi levado ontem à Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Andradina para ajudar no esclarecimento do caso. Em seu depoimento, ele confessou a autoria de 11 furtos. O pai terá que apresentá-lo ao Juizado da Infância e da Juventude. 
Segundo o delegado Tadeu Aparecido Carvalho Coelho, a confissão do menino o surpreendeu. “Afinal de contas, ele é uma criança”, disse. 
Nos próximos dias, Coelho espera ouvir outros menores e encaminhar o inquérito ao 2º Distrito Policial. “Este é um problema social sério. No caso de J., ele nem freqüenta a escola. A estrutura familiar é muito importante que para que estes menores não fiquem à mercê dos traficantes. 
Willian Silva disse à polícia que a maioria do material apreendido em sua residência foi levada por J. (Jean Oliveira) 
 
 



 
 

CASTILHO 
Prefeitura quer  
investigação  
em córrego 

Jean Oliveira 

      A Prefeitura de Castilho pediu para que a Companhia de Tecnologia e Saneamento Ambiental (Cetesb) e a Polícia Florestal faça uma análise detalhada da água do córrego Moinho. Há um mês, pescadores locais denunciaram a morte de dezenas de peixes. O Moinho nasce no município de Guaraçaí, cruza a zona rural de Andradina e deságua no rio Paraná, em Castilho, e é usado para pesca esportiva e lazer de famílias nos finais de semana. 
A denúncia da morte dos peixes foi recebida no dia 16 de outubro pelo vereador Jorge Abdo Abdala (PTB). Os pescadores afirmaram que grande quantidade de peixes mortos está sendo encontrada periodicamente no córrego. Abdala registrou boletim de ocorrência no posto da Polícia Florestal do município e redigiu requerimento pedindo providências à prefeitura. 
O prefeito de Castilho, Adão Severino Batista, com apoio da Comissão Municipal de Turismo, formado por membros do executivo, legislativo, Associação Comercial e Industrial, Rotary e Lions Clube, deu início a uma campanha de preservação do córrego. Os pescadores da cidade estão recebendo orientações para denunciar qualquer anormalidade que possa provocar a morte dos peixes. 
Em Guaraçaí e em Andradina não houve denúncia de poluição do córrego. Segundo o sargento Donizete Aparecido Parra Palombo, comandante do destacamento da Polícia Florestal que atende esses municípios, “tudo tem corrido na mais perfeita ordem”. “Temos feito patrulha periódica pela margem do córrego e não temos registrado modificações ou ação predatória”, disse Palombo. 
A primeira suspeita surgida em Castilho foi a de que o córrego estivesse sendo poluído por dejetos industriais ou por uso incorreto de defensivos agrícolas. 
O gerente da agência da Cetesb de Araçatuba, José Maria Morandini Paolielo, porém, não acredita que as indústrias sejam as responsáveis por possíveis alterações na qualidade da água, mas vai fazer a análise pedida pela prefeitura. A única empresa instalada às margens do Moinho é a Indústria Citroplast que faz reciclagem de papel. 
“Nós recebemos algumas denúncias sobre a empresa e fizemos várias visitas de inspeção. Ela tem trabalhado dentro das normas técnicas, e seu resíduo industrial tem sido tratado corretamente. Aliás, convém destacar que analisamos a água do córrego a cada três meses e não constatamos alterações relevantes na qualidade da água”, explica Paolielo. 
A assessoria de imprensa da Citroplast informou que a indústria tem três lagoas de tratamento e um processo de reciclagem dos dejetos, por isso descarta que tenha poluído o córrego. 
 
 

Foto: Jean Oliveira
Ligação/ O córrego Moinho, em Castilho, 
é um dos que deságuam no rio Paraná
 
 

Cidade tenta 
incrementar 
turismo 

     O vereador Jorge Abdala, autor das denúncias formais sobre a morte de peixes no córrego Moinho, disse que poluição da água ameaça seriamente as pretensões do município de profissionalizar o turismo. 
“As águas do córrego deságuam no rio Paraná, nossa principal atração. Não vamos permitir que matem nossos peixes”, disse. 
A cidade busca incrementar o turismo. Estão sendo realizadas palestras com a comunidade sobre a importância da atividade e obras que melhoram o atendimento ao visitante, como a construção de complexo de escoamento de água pluvial no centro comercial da cidade para evitar enchentes. Em dias de chuvas fortes, algumas lojas fecham as portas para não serem invadidas pelas águas. A rede será entregue no final do primeiro semestre do próximo ano. 
Além dos ranchos de pesca que atraem muitos turistas nos finais de semana, Castilho está preparando um nova atração. É o minipantanal, com aves e estrutura completa para camping e pesca esportiva. O minipantanal será na Ilha Comprida. 
Estudantes do curso de turismo das Faculdades Integradas Rui Barbosa, de Andradina, realizarão o inventário dos serviços e das atrações do município. (J.O.) 
 
 



 
 

BIRIGÜI 
Guarda volta 
a fiscalizar 
o trânsito 

Iber Vasconcelos Jr. 

       A Guarda Municipal de Birigüi vai voltar a atuar no trânsito a partir do dia 1º. A informação é do secretário de Obras, Francisco José Amantéa, a quem está subordinada a corporação. Serão cinco guardas, treinados pela Polícia Militar. 
Será a segunda tentativa de colocar a guarda na fiscalização de trânsito. “Na anterior tivemos alguns excessos, provocados não por má-fé, mas por falta de uma orientação mais segura para os agentes”, reconheceu Amantéa. O número de multas aplicadas foi tão grande que a Guarda foi retirada do trânsito e as multas, num valor total de R$ 40 mil, canceladas. Para o secretário, os problemas não irão se repetir. 
Os cinco guardas são o embrião de um futuro destacamento especializado em trânsito. “Num primeiro momento vamos acompanhar e avaliar os resultados e a atuação dos agentes. Caso sejam positivos, vamos treinar mais agentes e criar o grupo”, revelou o secretário. 
Foi criada também a Junta Administrativa de Recursos de Infrações (Jari), para julgar em primeira instância as reclamações e recursos apresentados. “Todo motorista ou motociclista eventualmente multado em ato de comprovada arbitrariedade terá seus direitos garantidos”, afirmou Amantéa. 
Foi estabelecido um ponto de fiscalização permanente, a avenida Euclides Miragaia esquina com rua Luiz Toledo Piza Sobrinho. Os outros guardas, em conjunto com a PM e os guardas comuns, irão atuar principalmente nas escolas. 

 

CONCURSO 
Três mil candidatos  
disputam 200 vagas 

Iber Vasconcelos 

      O concurso da Secretaria Municipal de Educação, de Birigüi, atraiu 3.020 candidatos para 206 vagas. As inscrições terminaram na segunda-feira. 
Durante os cinco dias de inscrição, os funcionários do Banespa, agência da praça Dr. Gama, trabalharam dobrado. Foram instaladas caixas exclusivas para recebimento, mas ainda assim se formaram filas. Os candidatos aguardaram em média 2,5 horas numa fila que se estendeu cerca de 100 metros para fora da agência. 
A relação candidato/vaga para cada cargo a ser preenchido é a seguinte: servente (9,53 candidatos por vaga), vigia (2,92 candidatos/vaga), zelador (3 candidatos/vaga), oficial de escola (9,6 candidatos/vaga), orientador de alunos (25,4 candidatos/vaga), professor nível I (18,58 candidatos/vaga), secretário de escola (36,25 candidatos/vaga), diretor de escola (15,5 candidatos/vaga) e supervisor de escola (9,5 candidatos/vaga). 

PROVAS - Serão contratados 40 serventes de escola (salário de R$ 220,00), 24 vigias (R$ 220,00), 8 zeladores (R$ 220,00), 8 secretários de escola (R$ 418,86), 20 oficiais de escola (R$ 344,34), 20 orientadores de alunos (R$ 307,89), 76 professores de nível I (R$ 682,00), 8 diretores de escola (R$ 972,11) e 2 supervisores de ensino (R$ 1.165,60). 
As taxas de inscrição foram de R$ 15,00 para os cargos de escolaridade básica (alfabetizados), R$ 25,00 para os candidatos aos cargos de nível médio (segundo grau completo) e R$ 35,00, para os cargos com exigência de curso superior. 
As provas vão ser realizadas no dia 19 de dezembro, em local ainda não definido. Os inscritos deverão receber em casa um comunicado sobre o local da prova, até cinco dias antes do concurso. No período da manhã, serão feitos os exames para os cargos de servente, vigia, zelador, orientador de alunos e professor I. 
A prova para os cargos de secretário, oficial de escola, diretor e supervisor serão à tarde. Para todos os aprovados, haverá ainda prova prática, em data não definida. 
 
 

HOMICÍDIO 
Briga entre 
carroceiros 
causa morte 

      O carroceiro Ilson Paulino da Costa, 47 anos, foi assassinado no final da tarde de segunda-feira em Birigüi pelo também carroceiro Ademar Raimundo, 45, com uma facada. O motivo seria ciúme. A facada atingiu um braço da vítima, que morreu por hemorragia. 
A mulher de Raimundo, Vera Cristina dos Santos, que já havia morado com Ilson, também foi ferida com uma facada na mão. O assassino e a vítima eram amigos. 

DISPAROS — O comerciante Wilson Lopes, 39 anos, disparou quatro tiros de revólver calibre 38 contra Marcelo Moreira da Silva, 32 anos, o “Zé Preto”, na tarde de segunda-feira. Somente um dos tiros atingiu a vítima, entrando pelas costas e saindo pelo braço direito. 
Os dois já haviam discutido anteriormente, por motivos desconhecidos. Na segunda-feira, eles se encontraram na avenida Euclides Miragaia, onde ocorreram os tiros. Lopes, que já responde a processo por um homicídio ocorrido há um ano, foi preso. (I.V.J.) 
 
 



 
 
 
 
Alunos aprendem sobre  
dengue e leishmaniose 

Os alunos da escola municipal de ensino fundamental Índio Poti, de Araçatuba, assistiram ontem a uma dramatização sobre as medidas de prevenção da dengue e da leishmaniose visceral. A apresentação foi feita pelos profissionais da área de Informação, Educação e Comunicação (IEC), da Secretaria Municipal de Saúde. A dramatização contou com a participação do personagem Zé Limpinho, que simboliza o combate à dengue e à leishmaniose visceral no município, além de um cachorro e dos mosquitos transmissores dessas doenças. 

Proerd em Bilac 

A Polícia Militar desenvolveu neste semestre o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) em Bilac. O programa auxilia estudantes frente às pressões para o uso de drogas e para atividades violentas. Foram 17 lições ministradas pelo sargento Arnaldo Alves da Cunha para 120 alunos da escola municipal General Lima Figueiredo. O Proerd será encerrado no próximo dia 2, com cerimônia de formatura no Clube Social e Recreativo. O programa tem apoio da Prefeitura de Bilac, Câmara dos Vereadores e Associação Comercial. 

DER vai colocar 
defensa em ponte 

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) terá que colocar defensas em 16 pontes e viadutos da rodovia Marechal Rondon e sinalizar adequadamente a rodovia Assis Chateuabriand, ambas dentro dos limites de Penápolis. Entendendo que a ausência de defensas e placas de advertência e controle de velocidade oferecem risco aos motoristas, o promotor da Defesa dos Direitos Constitucionais do Cidadão, Jairo Edward de Luca, instaurou procedimento para apurar a falta da estrutura nos locais. 

PM apreende 520 gramas 
de maconha em Birigüi 

A Polícia Militar de Birigüi apreendeu na madrugada de ontem cerca 520 gramas de maconha, munições, aparelhos eletrônicos, relógios, documentos, talão de cheques, fitas adesivas e papéis utilizados para embalar drogas no bairro Cidade Jardim. Os policiais haviam recebido informação da PM de Buritama de que três homens, à bordo de uma Brasília vermelha, placas BND-6901, se dirigiam para Birigüi para comprar a droga no ponto do traficante Edson da Silva Santos, 33 anos, o Ratinho. Santos e outras três pessoas foram presas no local. 

Menores são detidos por roubo 

S.S.F., 17 anos, e M.K.G.O., 15 anos, foram detidos ontem às 14h pela Polícia Militar após roubarem um minimercado na rua Péricles Pimentel Salgado, jardim Umurarama, em Araçatuba. Os menores levararam R$ 11,24. De acordo com a polícia, eles entraram armados e anunciaram o assalto exigindo o dinheiro. Na saída, ainda fizeram dois disparos. Ninguém ficou ferido. Eduardo Aparecido Martiniano, que passava pelo local, perseguiu os dois adolescentes de moto. Ao passar em frente da Base Comunitária da Polícia Militar, no Hilda Mandarino, pediu ajuda. Os menores foram detidos na rua Joaquim Cândido. M.K.G.O. é suspeito de participar de outros roubos na cidade. 

Incêndio 
destrói 
residência 

Um incêndio destruiu a residência do vidraceiro Élber Ferreira Marques, 19 anos, na rua Aloísio de Azevedo, 480, bairro Paraíso, em Araçatuba. O fogo começou por volta das 22h30 de domingo, danificando todo o madeiramento do telhado e móveis. Marques acredita que o fogo tenha sido ateado por pessoas ainda não identificadas que teriam rixa com seu irmão. O esclarecimento do caso está sob a responsabilidade da Delegacia de Investigações Gerais (DIG). No sábado, outro incêndio destruiu o telhado, móveis e roupas da comerciante Lázara Cristina Hipólito, 29, na rua dos Fundadores, 1.972, jardim Umuarama. 
 
 



 
 
 
 

Curso de 
marceneiro 

ARAÇATUBA — A Escola Senai “Duque de Caxias” de Araçatuba recebe até o dia 30, inscrições para o curso de marceneiro. O curso é gratuito e destina-se a jovens que tenham entre 14 e 16 anos, escolaridade correspondente à 8ª série do ensino fundamental, no início do curso. A inscrição pode ser feita das 7h às 17h, de segunda a sexta-feira, na secretaria da escola. Maiores de 16 anos poderão fazer o curso em módulos, no período noturno, com duração e certificação semestral. Neste caso, o aluno pagará uma taxa mensal próxima de R$ 50,00. Maiores informações na rua Bartolomeu de Gusmão, 150, próximo ao recinto de exposições, ou pelo telefone (0xx18) 622-5444. 

Provas do 
Telecurso 

ARAÇATUBA — A Diretoria de Ensino de Araçatuba informa aos alunos matriculados no Telecurso 2000 da rede estadual de ensino sobre as datas das provas. Os alunos matriculados devem requerer a realização das provas na secretaria da EE Manoel Bento da Cruz (IE), na rua Carlos Gomes, 732, até sexta-feira. As provas para ensino fundamental (5ª a 8ª) serão: geografia (dia 1º), ciências (dia 2), história (3), matemática (6) e português (7); ensino médio (1º ao 3º colegial) - química (dia 29 de novembro), física (dia 30), geografia (1º), biologia (2), história (3), matemática (6) e português (7). 
 
 



 
 
 
 

10/11 - Ana Flávia Vieira Marques, filha de José Humberto Pereira Marques, 32, industriário, e Ivete Vieira Marques, 31, do lar. 
10/11 - Renan Barbosa Lima, filho de Ademar Barbosa Lima, 24, aux. de farmácia, e Rosemeire Barbosa Lima, 23, aux. de escritório. 
11/11 - Gabriel de Souza Lopes, filho de Vilson Balbino Lopes, 31, porteiro, e Selma Fernandes de Souza Lopes, 29, do lar. 
11/11 - Caroline Menezes Oliveira, filha de Sidney de Oliveira Júnior, 27, maitre de hotel, e Silvana Dantas Menezes, 24, do lar. 
11/11 - Leonardo Henrique Batista Pinto, filho de Renato Afonso de Paula Pinto, 30, analista de sistema, e Patrícia Lopes Batista Pinto, 26, fonoaudióloga. 
11/11 - Rafael Annelli Paes, filho de Edemar Paes Junior, 24, comerciante, e Daniela Rodrigues Annelli Paes, 24, comerciante. 
11/11 - Amanda Dall’Oca Berti, filha de José Luís Berti, 35, vendedor, e Márcia Helena Dall’Oca Berti, 29, do lar. 

Serviço 

Informações fornecidas pelo Cartório de Registro Civil 
 
 



 

 

 
 
 
 
Volta ao topo da página